terça-feira, 19 de agosto de 2014

Wine Weekend Costão Experience 2014

Entre 29 e 31 de agosto, o melhor sobre vinho é encontrado no Costão do Santinho. São almoços e jantares harmonizados com vinhos de várias nacionalidades, palestras com renomados sommeliers brasileiros, oficinas de degustação, atrações de beleza com o Costão SPA, shows e apresentações especiais do saxofonista Derico, do sexteto do Jô.
Grande atração, os almoços e jantares harmonizados vão deixar os hóspedes com água na boca e bem informados sobre as melhores combinações. 


Durante o pacote, serão oferecidos dois almoços especiais, com temática alemã e italiana e as presenças dos sommeliers Maria Amélia e Igor Maia que, respectivamente, falarão da harmonização nestas gastronomias.
Já à noite, o Costão irá preparar mais dois jantares harmonizados. Sobre a gastronomia francesa, a palestra a respeito da melhor combinação de pratos e vinhos será ministrada pelo jornalista especializado Eduardo Viotti. Na culinária argentina, o jantar será embalado ao som de tango e terá a presença de sommeliers da Bodega Las Moras, que tem ótimos vinhos.

Completando a programação, o Costão terá o Espaço Gourmet com “Palestra e Degustação de Azeites Premium” por Paulo Freitas; a atração “Jurado de Vinho por um dia”; apresentação “Cortes Emblemáticos” por Eduardo Viotti, tenda da beleza Costão SPA “Vinotage e SPA” e cassino com o vencedor da noite ganhando uma garrafa de vinho.

Estaremos por lá e depois contaremos tudinho para vocês. ;)
Quem quiser saber mais, eis o link direto do Costão do Santinho, com a programação: https://www.costao.com.br/pacotes/wine-weekend.html


segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Risotto de damasco, queijo meia-cura e limão

Mais uma da série das prometidas receitas do livro "Pitadas da Rita". Risotto com uma combinação inusitada, mas super saborosa e harmoniosa. Vale provar!

Ingredientes:

1 xícara (chá) de arroz arbóreo
3 xícaras (chá) de caldo de legumes caseiro
1 colher (sopa) de azeite
1 cebola pequena picada fino
1/4 de xícara (chá) de vinho branco
1 xícara (chá) de queijo meia-cura em cubinhos
raspas e caldo de 1 limão
1/2 xícara (chá) de damasco seco cortado em cubinhos
sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Modo de Preparo:

1. Leve o caldo ao fogo médio e, quando ferver, reduza para baixo.

2. Enquanto o caldo esquenta, leve uma panela ao fogo médio, regue com o azeite e junte a cebola picada. Tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Misture bem por 3 minutos, até a cebola murchar e ficar transparente.

3. Junte o arroz, tempere com mais sal e pimenta-do-reino e misture bem por 1 minuto.

4. Aumente o fogo para alto, regue com o vinho branco e mexa até secar.

5. Adicione uma concha do caldo de legumes e mexa bem até secar. Coloque outra concha e repita o procedimento até restar uma concha de caldo.

6. Junte a última concha de caldo, o damasco e o queijo meia-cura. Misture bem sem deixar secar completamente: o risoto deve ficar úmido, com o grão cozido, mas ainda durinho no meio, al dente.

7. Adicione as raspas e o caldo do limão e misture bem. Verifique o sabor e, se precisar, tempere com sal e pimenta-do-reino a gosto. Se quiser, regue com mais um fio de azeite e sirva imediatamente.

* A receita serve duas pessoas.

Harmonização: De Martino Gallardia, um rosé chileno, do Vale de Itata, feito com a uva Cinsault.

As "nossas pitadas" - dicas da Janita: 
- use o limão siciliano, é menos ácido mais delicado e mais perfumado.
- azeite, sempre de oliva extra-virgem, ou manteiga.
- vinho branco, use o seco, nunca um suave porque é muito doce.
- queijo, pode ser outro de sua preferência... o brie ou até mesmo minas frescal ou ricota vão muito bem.
- se gostar do risotto bem molhadinho, acrescente ao final uma colher generosa de nata.
- Acrescente ao final um pouco de folhas de hortelã fresca picadinhas. Dá leveza e frescor ao prato.

O que é o Queijo Meia-Cura?

Queijo típico de Minas Gerais, o meia-cura (também conhecido como curado) é uma variação do minas frescal. Produzido há mais de duzentos anos, ele é primo distante do queijo da Serra da Estrela, de Portugal, trazido pelos imigrantes da época do Ciclo do Ouro. Embora bastante parecidos na composição, o meia-cura passa por uma maturação de cerca de 30 dias, adquirindo uma consistência mais seca e firme. Tem como características um sabor suave, textura compacta, untuosa, boa plasticidade e cor amarelada.

Ele costuma ser usado para fabricação do pão de queijo, outra iguaria mineira.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Torta Rústica Ratatouille(do livro Pitadas da Rita)

Mais uma receita da série de delícias da Rita Lobo que estão no livro "Pitadas da Rita".
PARA A MASSA
Ingredientes:
100 g de manteiga gelada
1 1/4 de xícara (chá) de farinha de trigo
1 ovo
1 colher (chá) de sal

Modo de Preparo
1. Corte a manteiga em cubos e passe para uma tigela grande. Junte a farinha peneirada e, com a ponta dos dedos, misture até formar uma farofa, sem dissolver completamente a manteiga.

2. Junte o ovo e o sal e trabalhe a massa apenas até formar uma bolota. Envolva com filme e leve à geladeira por no mínimo 1 hora. Atenção: se preferir, faça a massa no dia anterior ao que vai servir a torta.

PARA O RECHEIO
Ingredientes:
1 berinjela pequena
1 abobrinha média
3/4 de xícara (chá) de tomate-cereja ou sweet grape
1 talo de alho-poró sem as folhas verdes
1 pimentão amarelo
1 cebola média
4 dentes de alho
sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto
8 colheres (sopa) de azeite

Modo de Preparo
1. Preaqueça o forno a 220 ºC (temperatura alta).
2. Numa tábua, corte a berinjela em rodelas de cerca de 1 cm e descarte as pontas. Se a berinjela for grande, corte as fatias em meias-luas. Transfira para uma tigela, cubra com água e misture 1 colher (chá) de sal. Reserve.
3. Prepare os outros legumes: fatie as abobrinhas em rodelas de 1 cm e descarte as pontas; corte os tomatinhos ao meio; fatie fino o alho-poró; corte o pimentão ao meio, descarte as semente e corte as metades em quadrados; descasque a cebola e corte em quartos; descasque os dentes de alho.
4. Retire a berinjela da água e disponha numa assadeira retangular grande. Regue com 3 colheres (sopa) de azeite e leve ao forno preaquecido por 15 minutos.

5. Retire a assadeira do forno e junte os outros legumes. Tempere com sal e pimenta-do-reino, regue com o azeite restante e misture delicadamente. Volte a assadeira ao forno por 30 minutos. Retire a assadeira e baixe a temperatura do forno para 180 ºC (temperatura média).

PARA A MONTAGEM
Ingredientes:
2 ramos de tomilho fresco
2 ramos de alecrim fresco
1 gema para para pincelar

Modo de Preparo:
1. Cerca de 15 minutos antes de o tempo para pré-assar os legumes terminar, retire a massa da geladeira. Se você está fazendo a torta em etapas, cada passo num dia, preaqueça o forno a 180 ºC (temperatura média).
2. Numa bancada, polvilhe um pouco de farinha e, com um rolo de macarrão, abra a massa num formato arredondado até ficar com cerca de 0,5 cm de espessura.
3. Transfira a massa para uma fôrma redonda de fundo removível de cerca 24 cm de diâmetro, deixando as bordas para fora.
4. Retire a assadeira do forno e transfira os legumes para uma tigela grande. Debulhe os ramos de tomilho e alecrim e junte à tigela, misturando delicadamente.
5. Passe os legumes para a fôrma com a massa. Dobre as bordas sobre os legumes.
6. Numa tigelinha, misture a gema com 1 colher (chá) de água. Pincele a massa e leve a torta ao forno por 45 minutos ou até dourar. Sirva quente ou em temperatura ambiente.

Dicas da Janita -  as minhas "pitadinhas" ou pitacos:
Essa delícia de cobertura/recheio pode ser usada em massa de pizza e em massa de pão sírio ou pita. Basta colocar sobre a massa, assar e servir com um bom azeite de oliva. Fácil! Delícia!
Em fatias pequenas pode ser servido como entrada ou antepasto.

Harmonização: Admite tintos, brancos e rosados. Se gostar de tinto, prefira os aromáticos e meio robustos como os da Provence. Um bom Dão, um Montepulciano d´Abruzzo podem ser adequados. Quem preferir os brancos, deve escolher exemplares bem secos e aromáticos, como alguns do Sul da França e das Côtes du Rhône. Na Provence, o rosado local muitas vezes acompanha a ratatouille. Escolha um rosado seco, de preferência do Sul da França, como Lirac, Tavel e Bandol. Mas há ótimos rosados também em Portugal e na nossa vizinha Argentina (rosados da uva Malbec, rosés malbec, como os gostosos e meus predieltos: Kaiken, Alma Negra, Pulenta La Flor, Los Haroldos e o Rosa de Argentina da Belasco de Baquedano).

Trilha sonora - sugestão musical:
Acompanha muito bem e com a devida doçura: a música Le Festin da fofíssima Camille. Inclusive, a música faz parte da trilha do filme "Ratatouille". Fofura deliciosa de ouvir!
Pra vocês um vídeo com a letra, bem lindinha, em francês, pra cozinhar e cantar junto! Enjoy!
A tradução para o português:

"Os sonhos dos amantes são como um bom vinho

Eles trazem alegria e também desgosto

Enfraquecido pela fome, estou infeliz

Roubando, em meu caminho, tudo que posso

Porque nada na vida é de graça


A esperança é um prato muito rápido de se consumir

Estou acostumado a pular refeições

Um ladrão, solitário, triste de alimentar

Para nós, sou amargo, quero ter sucesso

Porque nada na vida é de graça


Nunca irão me dizer que o caminho para as estrelas

que isso não é para mim

Deixe-me encantar você

e pegar meu vôo

Vamos finalmente nos deliciar


A festa vai finalmente começar

Levem as garrafas, acabam-se os aborrecimentos

Ponho a mesa, amanhã é uma nova vida

Estou feliz com a idéia deste novo destino

Uma vida às escondidas, e sou finalmente livre

O banquete está no meu caminho


Uma vida às escondidas, e sou finalmente livre

O banquete está no meu caminho"



Sobre a Ratatouille - História e Etmologia

Um prato rústico, típico da região de Provence em que se notam influências espanholas e italianas. 

O nome significa "picar, triturar", mas podemos traduzir também como "ragoût de legumes" ou "prato de berinjelas", conforme o "Pequeno Dicionário da Gastronomia".
No original francês, "ratatouille" é um substantivo feminino, também chamado de "ragu grosseiro". Sopa de carne ou peixe picados com legumes cozidos longamente em azeite.
O prato originalmente, nasceu da cultura de subsistência dos moradores do campo, do aproveitamento da “horta”. Berinjela, abobrinha, cebola, tomate, ervas e o azeite extraído das olivas – dessa combinação surgiu uma das receitas mais versáteis e clássicas da gastronomia francesa. Servida à mesa dos mais pobres aos mais nobres, a Ratatouille se encaixa na entrada e no prato principal. Pode ser fria ou quente. Vai bem do verão ao inverno. É deliciosa quando preparada na hora ou de véspera.
Hoje a Ratatouille foi muito além dos campos da França. Ocupa um lugar de destaque em diversas cozinhas de todo o mundo, impulsionado pelo estilo saudável de viver.

Naked Cake de Chocolate(Rita Lobo)


Tá gente, eu sei que a receita, seguindo a ordem do post sobre o novo livro da Rita Lobo, seria do Naked Cake Brasileiro(de castanha com doce de mamão verde), mas vamos combinar que o gosto da maioria dos leitores fecha bem mais com o chocolate, não concordam? A Rita Lobo tem uma receita sensacional de Naked Cake, daquelas que agradam a todos, um curinga para festinhas e celebrações! Foi essa que escolhermos para compartilhar no blog, pois é maravilhosa!
Para a massa:

Ingredientes:

8 ovos
4 xícaras (chá) de açúcar
2 xícaras (chá) de leite
2 colheres (sopa) de manteiga
¾ de xícara (chá) de chocolate em pó
2 colheres (sopa) de fermento em pó
2 ½ xícaras (chá) de farinha de trigo

Modo de Preparo:

1. Preaqueça o forno a 200 °C (temperatura média). Prepare duas fôrmas de 25 cm de diâmetro forrando com papel-manteiga. (Leia no texto acima mais informações.)

2. Numa panelinha, leve ao fogo médio o leite e a manteiga até ferver.

3. Na batedeira, bata as claras até o ponto neve e junte as gemas, uma a uma. Junte o açúcar e bata bem.

4. Numa tigela, peneire a farinha, o chocolate e o fermento e misture bem.

5. Diminua a velocidade da batedeira e acrescente, aos poucos, os ingredientes secos misturados, alternando com o leite (com a manteiga) ainda quente, até incorporar bem.

6. Despeje metade da massa em cada fôrma e leve ao forno por 40 minutos, ou até que o palito saia limpo quando espetado no centro do bolo. Deixe esfriar e desenforme.

Para o recheio:

Ingredientes:

1 litro de leite
6 gemas
2 colheres (sopa) de manteiga
1 xícara (chá) de amido de milho
1 ¼ de xícara (chá) de açúcar
1 fava de baunilha ou 1 colher (chá) de essência de baunilha

Modo de preparo:

1. Leve ao fogo uma panela com o leite, a baunilha e metade do açúcar, até ferver.

2. Numa tigela, bata as gemas e a outra metade do açúcar com um batedor de arame.

3. Junte o amido de milho às gemas e misture bem. Acrescente um pouquinho do leite quente à mistura e mexa. Vá acrescentando o leite aos poucos até terminar, mexendo sem parar. Este processo é importante para que as gemas não cozinhem com o leite quente.

4. Volte o creme à panela, leve ao fogo baixo e misture com o batedor de arame até engrossar. Desligue o fogo, acrescente a manteiga e misture.

5. Espalhe o creme numa assadeira e cubra imediatamente com filme, encostando no creme, para não ressecar. Leve à geladeira até esfriar bem. Na hora de usar, bata o creme na batedeira até ficar cremoso.

Para a ganache de chocolate amargo(opcional):

Ingredientes:

¾ de xícara (chá) de creme de leite fresco
200 g de chocolate amargo

Modo de preparo:

1. Numa tábua, pique o chocolate.

2. Numa panela pequena, leve o creme de leite ao fogo médio até aquecer. Desligue e acrescente o chocolate picado. Mexa bem, até ficar liso.

3. Deixe esfriar e endurecer um pouco antes de espalhar sobre o bolo.

Para a montagem

Ingredientes:

2 xícaras (chá) de frutas vermelhas (morango, amoras, framboesas, groselhas)
1 xícara (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de água
açúcar de confeiteiro para decorar

Modo de preparo:


1. Reserve o bolo mais bonito para ser o topo. Com o cortador de bolo, corte cada um ao meio, na horizontal. No total, teremos 4 camadas de massa bem fina.

2. Numa panela, leve ao fogo médio 1 xícara (chá) de açúcar e 1 xícara (chá) de água até ferver. Reserve esta calda para regar o bolo. Se quiser, aromatize com 1 colher (sopa) da bebida alcoólica de sua preferência ou essência de baunilha.

3. Num prato de bolo, coloque a uma camada do bolo e pincele com a calda de açúcar.

4. Espalhe 1/3 do creme de baunilha sobre o bolo. Faça uma camada generosa de creme, nivelando até as bordas. Repita o processo com as demais camadas, finalizando com a camada mais bonita no topo. Regue bem com a calda.

5. Cubra o topo do bolo com uma camada fina da ganache, com cuidado para não escorrer nas laterais. Ou cubra com açúcar de confeiteiro passado por peneira.

6. Lave e seque as frutas e espalhe no topo e nas laterais do bolo. 

Dicas:

- As cores das camadas precisam contrastar (massa escura, recheio claro, por exemplo); o recheio precisa ser firme para aguentar o peso da massa; e ele deve ter no mínimo três camadas de massa e duas de recheio, bem generosas para aparecer.

- A maneira ideal de rechear este tipo de bolo é usando um saco de confeitar, de preferência, com um bico largo, de 2 cm de diâmetro. E capriche no recheio das bordas! Depois, passe uma espátula e certifique-se para que as camadas fiquem bem niveladas.

- Em vez de untar a fôrma, forre o fundo e as laterais com papel-manteiga. Corte um círculo de papel-manteiga do tamanho da fôrma para o fundo e, para a lateral, corte uma longa tira. Para ‘colar’, pincele manteiga derretida nos cantos da fôrma e coloque o papel-manteiga por cima.

- Se preferir, polvilhe açúcar de confeiteiro sobre o bolo, substituindo assim o ganache. O bolo fica mais leve e também muito bonito(como na foto).

Rendimento: 20 porções.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Pasta de cebola caramelizada(do livro "Pitadas da Rita)

Conforme prometido, segue a primeira receitinha citada no post sobre o novo livro da Rita Lobo, o "Pitadas da Rita". Ao final do post tem pitadinhas da Cozinha da Janita também, porque temos nossos "gostos, experiências e dicas" na cozinha também. hihihi...
Espero que curtam e se deliciem!

Ingredientes:

5 fatias de pão de fôrma integral sem casca
4 cebolas médias
1 embalagem de creme de ricota
2 colheres (sopa) de azeite
2 colheres (sopa) de óleo (ou azeite de oliva/manteiga)
suco de 1 limão
noz-moscada a gosto
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de Preparo:

1. Preaqueça o forno a 180 °C ( temperatura média ).

2. Descasque e corte as cebolas em rodelas finas, usando um mandolim ou uma faca afiada.

3. Leve uma frigideira grande ao fogo baixo. Quando esquentar, regue com óleo e junte as rodelas de cebola. Tempere com uma pitada de sal(e eu coloco uma colher de sopa de açúcar, para realmente "caramelizar" a cebola), misture bem e deixe a cebola ir caramelizando, mexendo de vez em quando, até ficar bem dourada. Isso leva cerca de 15 minutos (e não adianta aumentar o fogo, a cebola vai queimar em vez de caramelizar).

4. Enquanto isso, leve as fatias de pão ao forno, até ficarem douradas por fora, mas macias por dentro, cerca de 7 minutos.

5. Retire do forno e corte as torradas ao meio, formando duas torradas bem finas. Corte cada fatia na diagonal, formando triângulos. Arrume-as de volta na assadeira, com a face aberta para cima. Deixe dourar por mais alguns minutos, retire do forno e reserve.

6. Numa tábua, pique fino apenas a metade da cebola caramelizada. Transfira para uma tigela e junte o creme de ricota, o azeite, o suco de limão e tempere com sal, noz-moscada ralada e pimenta-do-reino.

7. Coloque o restante da cebola caramelizada por cima da pasta e sirva a seguir com as torradas.

Dicas da Janita(as minhas Pitadas ;) ): 
- Caramelizar pede açúcar, o que dá um sabor muito especial ao prato, então sugira incluir 1 colher de sopa de açúcar orgânico na receita, acrescentando às cebolas na frigideira. 
- Também sugiro caramelizar na manteiga ou azeite de oliva e não no óleo. Fica mais saboroso. ;)
- Se não tiver creme de ricota, utilize requeijão. 
- As torradas podem ser substituídas por pão sírio cortado em triângulos torradinhos no forno.

terça-feira, 15 de julho de 2014

Dica de Livro: Pitadas da Rita

     Rita Lobo está de volta com um livro de receitas e dicas que foram testadas, aprovadas e fotografadas no blog Pitadas, do site Panelinha, e no programa Pitadas da Rita na Rádio Eldorado. 

     Lançado em 2014, com 321 páginas, ensina deliciosas e práticas receitas e "Pitadas" que prometem trazer novo fôlego para a cozinha do dia-a-dia. 

Algumas receitas deliciosas que você vai encontrar no livro e poderá preparar em casa:

- Pasta de cebola caramelizada

- Bolo pelado de castanha-de-caju com doce de mamão verde ou naked cake brasileiro

- Torta rústica ratatouille

- Risoto de damasco, queijo meia cura e limão

- Moqueca de camarão com farofinha de dendê

- Caipirinha de carambola com maracujá

- Carré de cordeiro com geleia de frutas vermelhas

- Bolo de chocolate de liquidificador com ganache de laranja.

De dar água na boca e fazer correr pra cozinha!

Agora a surpresinha, só para abrir o apetite:
De presente para nossos leitores, nos próximos posts compartilharemos as receitas do livro acima citadas. 
Imperdível!!! 

Gostou? Comente!

Beijinho gourmet.

Nossos Muffins Dukan de Cebola e Alho


Buscando uma receita leve e light para o jantar, sem abrir mão do sabor e do prazer, adaptamos essa receita Dukan e ficou uma delícia! 

São muffins que viraram sandubinhas. 
Lindinhos, com pouquíssimas calorias e muito gostosos!

Ingredientes:
6 colheres de sopa de farelo de aveia
2 ovos inteiros
2 colheres de sopa de de leite desnatado em pó
6 colheres de sopa de leite ou iogurte desnatado
2 colheres de sobremesa de fermento em pó
1 cebola grande e 2 dentes de alho picados
Sal(ou um sachet de sazon) e ervas a gosto

Modo de preparo: 

Refogue a cebola e alho num fio de azeite de oliva. Deixe esfriar.
Misture bem todos os ingredientes e por último adicione a cebola e alho refogados e o fermento. Coloque em uma forminhas de silicone e leve ao forno pré aquecido a 180 graus por aproximadamente 15-20 minutos ou até que doure. Retire do forno, deixe esfriar um pouco, desinforme e sirva morno ou frio.

Se quiser fazer os sanduichinhos, corte os muffins ao meio e recheio-os como preferir. Na foto usamos peito de peru, queijo minas frescal light, tomate cereja e folhas mostarda e alface.



*A receita serve de 2 a 3 pessoas.
Sugestão para beber: Chá mate com limão bem geladinho.

Sugestão para ouvir: Limón y Sal, da levíssima e fofa Julieta Venegas.



Besitos con limón y sal. ;)

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Coxinha de Feijão com recheio de Linguiça Blumenau e Couve Mineira

Que todo brasileiro ama coxinha e ama feijão, isso você já sabe... Mas sabia que é possível unir as duas coisas e fazer uma fabulosa coxinha de feijão? Siiiiim, e fica ma-ra-vi-lho-sa!

Vimos a receita num jornal local de SC. Ela fez parte do do Segundo Festival de Botecos de Blumenau/SC, que aliás vale muito a pena ser visitado.

Nesta receita optamos por fazer algumas adaptações e por rechear com um refogado de Linguiça Blumenau e couve mineira, simplesmente porque amamos a tal combinação, mas você pode optar por calabresa, toscana, fininha, paio, bacon, carne seca e até só couve mineira para uma versão vegetariana.

Vamos à receita da brasileiríssima tentação?

Ingredientes da massa:

3 xícaras de feijão cozido batido no liquidificador(use a feijoada que sobrou, com caldinho mesmo)

1 e 1/2 xícaras de farinha de trigo peneiradas

2 colheres(sopa) de manteiga

Tempero à gosto(gosto de adicionar um sachet de Sazon sabor do nordeste ou sabor feijoada, mas lembre que a feijoada já tem temperos)


Ingredientes recheio:

1 Cebola picadinha

2 dentes de alho espremidos

1 maço de couve mineira cortadinha em tiras bem finas

150 g de linguiça Blumenau bem picadinha

1 pimenta dedo-de-moça(sem sementes) picadinha

Tempero a gosto


Modo de Preparo da massa:

Em uma panela, derreta a manteiga, acrescente o feijão batido(que virou um creme)  e aqueça bem. Despeje a farinha de trigo de uma vez só. Misture bem e mexa até virar uma bola e desgrudar do fundo. 
Espere esfriar.
Unte as mãos com óleo e faça 20 a 25 bolinhas. Abra cada uma(achatando-a), coloque um pouco de recheio e modele as coxinhas.

Modo de preparo do recheio:

Refogue e um fio de azeite de oliva a cebola e o alho. Acrescente a linguiça e deixe fritar bem. Coloque então a couve, mecha e aqueça, acerte o tempero a gosto e deixe esfriar para rechear a massa.

Para empanar e fritar:
Passe as coxinhas pela farinha de trigo, retire o excesso, depois passe pelo ovo batido e pela farinha de rosca. Frite em óleo quente.
Com a ajuda de uma escumadeira, retire as coxinhas e acomode-as sobre papel absorvente. 
*Também podem ser assadas em forno.

Sirva em seguida.

Dica da Janita: Sirva com rodelas de laranja(como se fosse limão), fica uma delícia espremer laranja nas coxinhas e devorá-las em seguida!
A imagem abaixo é nossa, é do nosso bolinho de tutu de feijão(parecido com a coxinha de feijão). Se quiser a receita, clique aqui

Imagens: Como não deu tempo de tirar fotos(o povo ia comendo conforme ia ficando pronto), peguei do Google. A do bolinho de tutu de feijão é nossa. ;)




quarta-feira, 25 de junho de 2014

Onde se hospedar em Gramado - Estalagem St. Hubertus

Gramado, além de ser uma cidade linda e que vale a pena ser visitada todo ano, é certamente um dos melhores roteiros gastronômicos do Brasil.
No inverno a cidade, com frio intenso, convida aos hotéis e pousadas com lareira, chás e cafés deliciosos e principalmente aos bons restaurantes com excelentes pratos e vinhos que aquecem e aguçam o paladar de gourmets de todo Brasil e também de fora do país.

Tivemos a oportunidade de estar em Gramado algumas vezes e sempre é uma deliciosa experiência, mesmo que se repitam lugares já visitados.

Neste post compartilhamos nosso lugar preferido em hospedagem em Gramado: a Estalagem St. Hubertus. Maravilhoso o ano todo, mas no inverno é ainda mais charmoso!
Sem dúvida, para nós, o melhor lugar para ficar e curtir em Gramado. 
Perfeito para ir a dois, num clima de lua-de-mel, ou mesmo para ir com a família.

Tem estilo rústico e elegante, como uma casa na montanha, com lareira, piscina aquecida, sala de massagem, sauna, sala de leitura e biblioteca, deck, sala de TV e de jogos, decoração clássica e detalhes que surpreendem por toda a parte. 
 





Possui uma arquitetura bem ao estilo das estalagens europeias. 


E tem tratamento vip, repleto de carinho, de mimos e acolhimento. 
Começa com as boas-vindas aos casais apaixonados...

O café da manhã  é um espetáculo, repleto de tortas divinas, petit fours e outras delicadezas...é de enlouquecer!
Em estilo colonial, servido das 7h30 às 11h30(horário que adoro, digno de férias, concordam?), é elaborado de acordo com a estação do ano e programado para os sete dias da semana. Fazem parte do cardápio: pães caseiros, cucas, bolos, tortas, frutas, iogurtes, cereais, frios, ovos quentes, panquecas e quiches, tudo acompanhado por café, leite, sucos, chocolate quente, chá e kit personalizado na mesa. Pode ser servido no apartamento ou na sala do café da manhã, com lareira, deck e maravilhosa vista para o Lago Negro. 





O chá da tarde também é imperdível! Delícias dos deuses!
Cortesia de chá com bolos, servido todos os dias a partir das 17h na sala do café da manhã.

 
 

À noite, no quarto, tem chazinho e chocolatinho com bilhetinho de boa noite e previsão do tempo para o dia seguinte. 
É muito carinho e bom gosto, perceptível em cada cantinho!

A Estalagem é emoldurada com uma das paisagens mais lindas e visitadas da cidade, o Lago Negro. A vista, de todas as partes do hotel, é realmente bela! 
 

  O Lago é um convite a um piquenique e o hotel oferece cesta e bicicletas para tal. 
Um dos meu programas favoritos por lá!

Fomos algumas vezes e até já demos um pacote de presente para meus sogrinhos quando completaram 50 anos de casados. Eles também amaram!
Sim, o hotel oferece pacotes para presentear! Fica a dica de um presente inesquecível, para surpreender até os mais exigentes! Quem não amaria ganhar?

O lugar possui o selo de qualidade "Roteiros de Charme", o primeiro a fazer parte da badalada Associação de Hotéis, em Gramado, na Serra Gaúcha e no Rio Grande do Sul. A Estalagem é também um dos hotéis em Gramado indicados pelo Guia Internacional de Hotéis de Luxo: Condé Nast Johansens.

E então, gostaram? Se animam? Bora pra Gramado!

#COZINHADAJANITAINDICA
Estalagem St. Hubertus
Rua Carrieri, 974 - Gramado - RS | CEP: 95670-000
54 3286 1273 | 54 3286 1258 | 54 3286 2144 | 54 91550255
e-mail: sthubertus@sthubertus.com
Site: http://www.sthubertus.com
Facebook: https://www.facebook.com/pages/Estalagem-STHubertus/192848960785710?fref=ts

Fonte das imagens: acervo pessoal e Google.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Berinjelas à italiana


Uma receita prática, gostosa e saudável, bacana para fazer a vez da entrada ou de um acompanhamento para carnes grelhadas.

Ingredientes:
. 2 berinjelas cortadas em rodelas de 2 cm de espessura
. 1/4 de xícara (chá) de shoyu
. 1 xícara (chá) de azeite
. 4 tomates sem pele e sem sementes picados
. 200 g de mussarela de búfala ralada grossa
. 1/2 xícara (chá) de azeitonas pretas picadas
. Sal e pimenta-do-reino a gosto, folhas de manjericão


Modo de preparo:

1. Em um refratário, distribua as rodelas de berinjela, regue com o shoyu e metade do azeite.

2. Cubra com papel-alumínio e asse durante 30 minutos em forno preaquecido a 220 ºC.

3. Em uma tigela, misture o tomate, a mussarela, a azeitona, o sal e as folhas de manjericão.

4. Retire a berinjela do forno e sobre cada rodela coloque uma porção da cobertura.

5. Regue com o restante do azeite de oliva e leve ao forno novamente, até a mussarela derreter.

Dicas: substitua a mussarela por qualquer queijo de sua preferência. Se gostar de pimentão, alho, cebola, acrescente-os picadinhos à cobertura das rodelas de berinjela.


Rendimento: 4 porções.

O que é Mussarela de Búfala?



O queijo mussarela de búfala é originário da Itália, sendo produzido exclusivamente com leite de búfala.
A búfala é utilizada como animal leiteiro há muito tempo em vários países asiáticos.
Os búfalos chegaram ao Brasil no séc. XIX pela ilha de Marajó, onde se encontra 50% do rebanho atual. Esta cultura vem-se difundindo no Brasil, mas os seus produtores utilizam todo o leite para a produção de queijo.
O leite de búfala é mais nutritivo que o bovino, possuindo 40% menos de colesterol, menor teor de gorduras e 59% mais de cálcio. É rico em vitaminas (A, B2 e D), proteínas.
Este queijo é ótimo para pessoas com osteoporose.
100 g de mussarela de búfala contêm cerca de 300 calorias, tornando-a ideal para dietas de emagrecimento.



O queijo mussarela de búfala possui uma textura cremosa, consistência macia, miolo úmido e cor branca brilhante.


Na Itália, apenas esse tipo de queijo é reconhecido oficialmente como mozzarela, recebendo o selo de certificação de origem. 
São produzidas, em média, 33 mil toneladas deste queijo por ano em território italiano.

Hoje, por ser muito utilizada na culinária mundial, a mozzarela também é produzida a partir do leite de vaca, apresentando aspecto amarelado e consistente, em peças retangulares – neste caso, a massa utilizada também é filada. Esta é a receita mais consumida em países como o Brasil, onde são produzidas, em média, 182 mil toneladas de queijo por ano.
No Brasil, onde este queijo é largamente consumido, a sua técnica de fabricação é diferenciada, o que acarreta em variações em sua composição. Por ser geralmente fabricado com leite cru, isso o impede de ser padronizado no país.

Nos EUA, este queijo é comumente confundido com pizza cheese, um outro tipo de produto comercializado.



Podemos utilizar este queijo em saladas, sopas, omeletes, pizzas, recheios, massas, etc.
Podemos encontrar a mussarela de búfala embalada com soro ou a vácuo e moldada em vários formatos, mas o mais comum é o de pequenas bolas.

Fonte: Wikipedia e site da Heaven Delhaye.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

13 de Junho - Dia de Santo Antonio


   Hoje, sexta-feira (13), é o "Dia de Santo Antônio". 

   Com fama de ser casamenteiro, Santo Antônio de Lisboa, também conhecido como Santo António de Pádua, viveu na primeira metade do século XIII, em plena Idade Média.
   Santo Antônio era um jovem, de família rica, que se chamava no início de Fernando, e ele se sentiu chamado para ser padre. Iniciou sua carreira na irmandade da ordem dos agostinianos. Ele era muito estudioso, conhecedor da palavra de Deus. 
Depois, conheceu São Francisco e passou a ser franciscano. Ele nasceu em Lisboa, na Idade Média, e, ao longo do tempo, foi passando por várias cidades, se estabelecendo em Pádua, na Itália, onde foi grande pastor, grande mestre, bastante procurado pelos fiéis pelo dom da palavra.

   Naquela época, os casamentos eram muito feitos à base de contrato com famílias. Os jovens precisavam ter dotes (costume antigo, consiste no estabelecimento de uma quantia de bens e dinheiro oferecida a um noivo pela família da noiva para acertar o casamento entre os dois; segue em vigor em alguns países). 
   Havia uma menina pobre que era apaixonada por um jovem rico, e essa união não podia ser realizada por falta do dote. Ela procurou Santo Antônio. Ele disse que ia orar por ela, e quando ela chegou em casa, um dote apareceu. Aí ela casou. Foi desse milagre que foi feito que surgiu essa fama dele toda.

Comida típica para festejar o santo
A Culinária típica das festas juninas consiste dos pratos feitos para as festas de veneração a São João, Santo Antônio e São Pedro que acontecem em Junho. São normalmente pratos a base de milho. Dependendo da região onde for realizada, a culinária pode ter um caráter peculiar.
Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, curau, milho cozido, canjica, cuzcuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos.

As principais bebidas e comidas das Festas Juninas:
Bolo de Milho Verde
Baba de moça
Biscoito de Polvilho
Pipoca
Curau
Pamonha
Canjica
Milho Cozido
Suco de milho verde
Quentão (bebida feita com gengibre, pinga e canela)
Biscoito de Polvilho
Batata Doce Assada
Bolo de Fubá
Bom-bocado
Broa de Fubá
Cocada
Cajuzinho
Doce de Abóbora
Doce de batata-doce
Maria-mole
Pastel Junino
Pé de moleque
Pinhão
Cuscuz
Quebra Queixo
Quindim
Rosquinhas de São João
Suspiro
Bolo de Aipim
Tapioca
Pão de queijo

* Essas e outras receitas e dicas de decoração para festas juninas, você encontra aqui no blog, no marcador "receitas festa junina" e "decoração  e dica festa junina".

Simpatias que funcionam...para quem acredita!
São inúmeras! Daria para fazer um blog só sobre elas... rs
Separamos 3 bem facinhas...Não custa tentar, né?

- Abra a porta da frente da casa para que Santo Antônio permita a entrada de alguém especial na sua vida, dizendo: "Santo Antônio, protetor dos namorados, faça chegar até a mim aquele que anda sozinho e que em minha companhia será feliz". Somado a isso, você pode acender uma vela rosa em um pires com mel e pedir a Arcanjo Haniel a verdadeira realização afetiva;

– Retire três espinhos de uma rosa vermelha e coloque dentro do perfume que você usa e que a pessoa gosta. Peça para Santo Antônio remover os obstáculos. Use o perfume sempre que estiver com a pessoa.

– Conte três palmos de uma fita branca e corte. Amarre o pedaço da fita numa imagem de Santo Antônio. Coloque a imagem em seu quarto e peça para que ele arrume um casamento. Peça, também, para que a sua mãe ou uma amiga fiel faça a simpatia sem que você veja, o que reforça suas chances;

E como orar sempre ajuda, a gente se despede com uma oração:

Doces e Felizes Festas Juninas!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...